segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Quero alguém que tenha opinião própria, mas fique ao meu lado


Revolta-me ser bonita, simples e singela e não ser reconhecida por quem você ama, eu não quero uma pessoa que fique amargurada, triste, sem sutileza nas palavras, eu não quero ser mais forte do que ele.
Santa Mãe de Deus, não tenho habilidade para lidar com os sentimentos confusos, algumas coisas só produzem em mim mágoa e tristeza, não quero alguém depressivo e que não saiba “perder”. Não estou dizendo que vou “ganhar” sempre, mas é preciso saber perder ideias, vontades, certeza para a relação durar. É o famoso ora eu cedo aqui, ora você cede ali.
Cansei de ficar tentando livrá-lo da tristeza sem fim enquanto eu me deprimia cada vez mais, não gosto de muitas coisas que pregam sobre instintos masculinos que só protegem os homens quanto a traições e isenção de afazeres domésticos.
Existe em mim uma forte tendência a deixar tudo para trás, principalmente quando me rodeio de alguém que quer sempre ser atendido imediatamente, porém sempre faço reconsiderações e meu caminho de perdão é longo e generoso.
Hoje me senti mal, precisava fazer algo, estava difícil entender o que eu sentia, estava em um restaurante barulhento e agitado, onde as pessoas em volta dançavam e tinham sorrisos vitoriosos, eu estava ali vivendo momentos duros de falta de paz, sem saber como me comportar.
Não quero ser uma dona de casa tradicional, tendo em minhas costas a minha profissão, não quero ter sonhos sozinha ou sobressaltos por ter de cumprir sonhos alheios que ferem os meus, não quero ser destaque por estar indignada com a vida.
Minha reputação não é lá essas coisas, sou conhecida como pavio curto, porém me conheço há muito tempo, sei que melhorei, sei por quem tenho atração, sei que não gosto de homens arcaicos, machistas, degradantes e déspotas, sei que quase tudo é tratável, mas não quero a incomparável rotina de ironias e conflitos.
Nem sempre você consegue o que quer, tento protestar, algumas coisas na vida não fazem o menor sentido, nunca considerei certas coisas como parte de uma filosofia de vida.
Não quero alguém que estimule minha personalidade tensa e irritadiça, não quero me sentir com uma aparência horrível, não quero falar palavras em códigos, eu quero plantar e colher bons frutos, quero tratar a causa e não o sintoma, preciso admitir que já fui tratada de maneira inconveniente com misto de interesse e indiferença. E isso eu não quero mais para mim.
Arcise Câmara
Imagem Escola Psicologia


Nenhum comentário:

Postar um comentário