sábado, 1 de novembro de 2014

Cada voz, uma opinião




O amor não se limita, eu posso amar várias pessoas ao mesmo tempo, posso amar no âmbito familiar os pais, os irmãos, os sobrinhos, no âmbito profissional posso amar colegas do serviço, no âmbito romântico eu amo você.
É trabalhoso provar para você que existe muitas diferenças nas diversas formas de amor e que nada funciona da mesma forma para mim e para ti.
Não escondo sentimentos, não poupo elogios, perdoo fácil e tenho meus queridinhos preferidos desde amigos de infância até pessoas que entraram na minha vida a pouco tempo.
O duro é convencer quem não quer ser convencido, quem acha que vale menos ou está se sentindo apagado diante de tanto amor em volta, quem acredita que eu estou gozando da cara dele ao eleger várias formas de amar.
Que dificuldade eu tenho em definir limites nos relacionamentos com os demais e isso causa inveja ou vanglória, estou sempre pregando a minha única verdade: posso amar quem eu quiser e amo intensamente.
Não é errado querer ser do jeito que você acredita ser o melhor, eu não ofereço intimidade para todo mundo, eu não assisto filme com todo mundo, eu não elejo os melhores do ano, eu não estou 100% satisfeita num mundo de amigos/família imperfeita, mas não curto intromissão de estranhos.
Não sou ressentida ou invejosa, só quero dar o ar da minha graça quando sinto que mereço estar. Sou consciente dos meus limites, sou fortemente agressiva quando acho que devo.
A vaidade é um vício que anda me consumindo, e eu troquei a maquiagem simples e clara por olhos fortes e boca nude, eu passei a ter a necessidade de me reconhecer como pessoa que pode mudar de opinião.
Fiquei tão chorona com tantas cobranças que me auto apelidei de "descascando cebolas" e desconsiderei a minha opinião em termos de expansão do amor, não sou paciente com coisas que não acredito, odeio mentiras e manipulações.
Sou concreta, não exijo demais, tenho consideração especial por quem amo e sei fazer qualquer pessoa se sentir única, sou feliz.
A insensatez me tira do sério, os indivíduos são insubstituíveis, falo isso ininterruptamente, mas parece não adiantar e a briga continua por atenção e mensuração do amor.
Eu não reparto amor, eu amo intensamente todos que admiro.
Arcise Câmara
Imagem: Google


Nenhum comentário:

Postar um comentário