sábado, 8 de fevereiro de 2014

Não nos separamos


Não existe mais abraço entre nós, os tempos são outros, o carinho deu vez a ignorância, nada é visto com naturalidade, tudo é peculiar, os opostos que um dia tentaram se cruzar.
Acabou a capacidade de ouvir, as aparências não nos cativa, as manifestações espontâneas deram lugar a acusações e cobranças, preferia mil vezes me separar, mas para onde vou? De que vou viver? E o preconceito que irei sentir, saindo de casa sem conseguir me manter ou sobreviver.
O casamento não terminou ainda porque estou pensando em mim mesma, em termos gerais, práticos e críticos, dirigindo minha conduta como julgo correta, no entanto, o clima está insuportável, insustentável, sinto-me prostituída em estar numa atmosfera tão pesada por falta da minha independência financeira.
Ele não me banca à toa, quer intimidade, quer sexo depois das ofensas, estabelece regras, me julga e me chama de vaca, anula minha autoestima com xingamentos dos quais recebo e me sujeito.
Sou escrava da falta de dinheiro, não sigo opinião dos outros, não estudo, não trabalho, não saio do lugar, ele não deixa, me quer dependente, apesar da minha dependência ser mais emocional que financeira, sou a raiz de minha infelicidade.
Até consigo ser consciente, utilizar o autojulgamento, perceber claramente nossas visões distorcidas a respeito de sexo, religião, raça, velhice, nação, política e outras tantas. Não sofro influência dos outros que querem o meu bem, sinto-me imune a qualquer influência alheia.
Cada situação não é nova, tenho certeza absoluta que poderia ser dona do meu próprio destino, que poderia progredir, manifestar meus pontos de vista, não ter medo de resmungar sem levar um soco no olho esquerdo.
Por uma série de sensações que não vivi e percepções que não viverei por me sentir acorrentada a algo que não é amor. Impulsiono o relógio para que um dia eu possa ter um lar, aprender as lições, entender que não posso me apegar as razões de ser ou ainda de que nada acontece por acaso.
- Arcise Câmara
- Crédito de Imagem: http://alinguagemsecretadaspalavras.blogspot.com

















Nenhum comentário:

Postar um comentário